terça-feira, 4 de janeiro de 2011

2011



O mundo girou e girou como nunca
Estava com frio, ansiosa, confusa
Estava lá
Depois, como um flash, um clarão, outra realidade aparece
E a dor chega
Foi minha escolha passar aquilo, mesmo sem conhecer
Os dias se passaram, pouca fome e poucos passos
Até que me vejo em casa, e tudo se transforma
Estava feliz, satisfeita
Cuidados vinham em milhares
O arrependimento nem se quer me tocou ali
Um êxtase misturado com a realização
Do que eu quis ser e ter
Incrível como tudo foi se moldando e mudando
Já melhorou bastante
E a cada dia renovo minhas forças pelo meu presente
E fico feliz por ter escolhido aquele instante

O ‘agora’ parece pouco para a multidão de idéias que penso
Mas controlo, e tento, aos poucos, construir
Sei que prometo para mim mesma, coisas que nunca termino
E acabo me sentindo mal, achando que não posso prometer a ninguém nada, se nem a mim eu sigo
Mas esse pouco que me resta
Torna-se uma brecha
Para alcançar tudo que quis, e lá no fundo, agora entendo, que apesar de dos tijolos, madeira e cimento, a casa vai depender de mim

Patrícia Fausto

3 comentários:

Rogna disse...

E se precisar de auxiliar de pedreiro... rs Conte sempre comigo, viu? Belo texto. =]

Patrícia (: disse...

Valeuu Rogna! =D

Laís Correia disse...

Lindo lindo : )

http://allquimiacriativa.blogspot.com.br/