segunda-feira, 29 de março de 2010


Cantando coisas inimagináveis, quero apenas olhar um pouco as pessoas.
Pouco de tudo me interessa
Podem me atacar como for, mas não vou erguer suas taças e brindar ao vazio que sinto.
É estranho escolher ser longe.
Ou você imagina que nada está perto.
Sentir é tão necessário nesses momentos.
Encarar que nada feito, é o bastante.
O mais é bem mais interessante.
Nem seus lindos olhos, a carne, as notas, as formas, me atraem.
É estranho escolher ser longe.
Mas nem tudo é escolha.
Nem tudo é poder.
Ser assim não te afeta, só acumula.
Acumulamos nossos egos, nossas fantasias, nossas forças em um único mundo.
Parece que brigamos constantemente por algo que nem sabemos o que é, o que sabemos é que queremos.
Queremos querer.



Patrícia Fausto

3 comentários:

VickA. disse...

Eii, que texto lindo. Agora irei ler todos, e estou seguindo. Um beijo grande =)

Patrícia (: disse...

Olá Vicka!
Obrigada e fique a vontade aqui no blog!

Beijos=***

liberdade aos poetas disse...

QUE DELÍCIA!
Sonho ou realidade?
Sou eu? Es realmente tu?
Neste delírio,
envolvo-me em pensamentos
Ou refugio-me em sentimentos?
Ainda não sei.
Não consegui, neste ímpeto de prazer,
Identificar o que é fantasia
Dentro deste mundo de realidades fugazes.
Mas, do teu beijo não esqueço.
O gosto , o cheiro, o sentir ...
Os meus sentidos mais vivos,
Mais tênues, mais sensíveis, mais...
Acordei e parece que estive em teu corpo.
Tentei dormir novamente...
Mas, sua presente ausência impedia-me o sono.
Que delícia!
Foi tão real que você ficou impregnado em mim.