quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Um certo passado

Já não sei nem mais o que pensar
nesse infinito de ilusões que estou me perdendo.
Aos poucos tudo se resume ao seu olhar
penetrando cada vez mais meus pensamentos.

Tem vezes que me sinto tão perto de ti
e realmente estou.
Mas não sei explicar, nem ao menos reagir.
Perto de ti, não consigo ser quem sou.

E nesse jogo de incertezas
a solidão toma minhas expectativas.
Não sei se devo tentar, se corresponderá
Ou se fico quieta, esperando alguma iniciativa.

Nada mais me resta, além de algumas palavras diretas.
Não sei se minhas poucas demonstrações te afetam.
Infelizmente, não consigo desistir.
E aos seus encantos, me entrego.

Um comentário:

mayara disse...

Que romantismo efêmero... condiz com o atual presente futuro.


lindo poetiza